Fazendo do invisível visível

Foto: @projetocidadesinvisiveis

Foto: @projetocidadesinvisiveis

Como uma marca social, o projeto Cidades Invisíveis nasceu em 2012 por uma vontade de fazer o bem.

Durante uma visita a comunidades carentes de Florianópolis, Samuel Schmidt entendeu o significado do que é ser privado de liberdade.

Foto: @projetocidadesinvisiveis

Foto: @projetocidadesinvisiveis

Fotógrafo e advogado, Samuel começou a compartilhar suas fotos com a intenção de tornar tais cidades invisíveis visíveis. Mas queria poder fazer muito mais e foi assim que surgiu a marca.

Todo o lucro obtido por ela é canalizado para o projeto, que realiza diversos tipos de ações de impacto social, como oficinas de leitura, ações de saúde bucal, distribuição de material escolar, e por aí vai.

Hoje, com mais de cinco mil produtos vendidos, mais de quinze mil pessoas já foram ajudadas.

Em 2017, o projeto criou a Bonsai, uma incubadora em uma das comunidades carentes que busca justamente ser um espaço de troca de ideias com projetos ligados à moda, inovação, entretenimento e engajamento.

Para conhecer mais sobre o projeto, acesse https://www.projetocidadesinvisiveis.com.br .

Adriana ZemelComentário