Partes que se completam

Foto: @tsurualfaiataria

Foto: @tsurualfaiataria

Secular e origlnal do Japão, o origami é a arte de dobrar um papel, criando objetos e animais a partir das dobras geométricas que são criadas.

Fundada em 2018 por Carolina Rovani e com uma filosofia bem similar, nasceu a Tsuru Alfaiataria. A ordem da casa é respeitar as dimensões e geometria dos tecidos.

Foto: @tsurualfaiataria

Foto: @tsurualfaiataria

Tendo o zero waste como pilar central, todas as peças da marca são desenvolvidas pensando no uso total do tecido. Para isso, as partes dos moldes devem se encaixar perfeitamente, o que influencia nas formas e tamanhos das roupas.

Aqui, cada item produzido é como um quebra-cabeça geométrico. Seu formato e caimento surgem com o uso de pregas, pences e amarrações.

Carol também traz como proposta para a marca não trabalhar com aviamentos como botões e zíper. Para os fechamentos e ajustes ao corpo, costuma usar amarrações, característica super presente na Tsuru, proporcionando uma maleabilidade maior de tamanhos.

O processo parece complexo. E certamente é.

Como cada peça traz uma modelagem e um tamanho, e para garantir que não sobre nenhum retalho, na Tsuru é tudo cortado individualmente. Além disso, muitas vezes é preciso fazer a modelagem no próprio manequim seguindo à risca o zero waste.

Assim como nós do Moda Modifica que acreditamos que a moda é feita para se brincar, a Tsuru segue o mesmo lema, oferecendo às suas clientes a chance de brincar com diferentes formas e dimensões.

Confira mais sobre a marca acessando sua página no instagram @tsurualfaiataria.

Adriana Zemel1 Comment