O futuro das cores

Imagem: site Colorifix 

Imagem: site Colorifix 

Vencedora do prêmio "Breaking New Ground”, na competição Bio-Star - projeto do fundo de investimentos UKI2S, a Colorifix é uma start-up que surgiu para tratar sobre a qualidade da água na Ásia.

Tudo começou com uma pesquisa sobre o que mais incomodava a população asiática, em assuntos relacionados ao consumo de água no país. Uma das reclamações mais recorrentes foi a quantidade de produtos químicos despejados na água, pela indústria da moda.

Um relatório divulgado pelo Banco Mundial revelou que a indústria do tingimento têxtil é responsável por 17-20% da poluição total da água da Terra. Além disso, a mesma indústria consome mais de seis trilhões de água por ano, ficando atrás apenas dos setores de energia e agricultura. 

Imagem: twitter

Imagem: twitter

A empresa então chegou a conclusão de que deveria existir uma forma de tingimento que fosse mais próxima da natureza e, por meio de sua biologia sintética, criou uma maneira onde usa pigmentos já existentes na natureza e microorganismos para obter o produto final, ou seja, o tecido tingido. Dessa forma, a Colorifix utiliza muito menos água, químicos e energia. 

Com grande relevância, sendo capaz de apresentar uma solução para um problema global super significativo, a start-up já firmou parceria com grandes marcas, como a designer Stella McCartney, sendo responsável pelo tingimento de parte das peças apresentadas em seu desfile para o verão 2018. 

Para entender melhor sobre a start-up e sua nova tecnologia, visite seu site: www.colorifix.com. Claro, não esquece de me contar o que achou! 

 

 

 

 

                                                                                                _______________

                                                                    The future of colors 

 

Winner of the Breaking New Ground award, from Bio-Star competition - project from UKI2S venture capital, Colorifix is a start-up that was developed with the goal of bringing a solution to the bad water quality in Asia. 

It all started with a study made by Colorifix about what bothered the most the asian population, mainly in Nepal and Bangladesh, regarding their water. One thing that came up again and again was the quantity of chemicals coming from the fashion industry that was simply thrown on the water.  

A paper from the World Bank revealed that the textile dyeing industry is responsible for 17-20% of the total pollution from the Planet's water. Besides that, this same industry also consumes more than six trillions of water every year, behind only of the energy and agricultural sectors. 

The start-up then decided there should probably be a better way of dying textiles: something closer to nature, and, by using its synthetic biology they engineered this way of dying where they combine pigments from nature and microorganisms achieving the final product. With this solution, Colorfix uses a lot less water, chemicals, and energy. 

As a company that was capable of solving a significant global problem, Colorifix signed partnerships with important brands, such as Stella McCartney, being responsible for dying part of the collection she presented for summer 2018 fashion show. 

To learn more about this new technology, go to www.colorifix.com. Of course, don't forget to share here what you thought about this new dying process. 

 

 

 

 

 

Adriana ZemelComentário