Grupo Kering é apontado como um dos mais sustentáveis do mundo

Foto: Gucci

Foto: Gucci

Todo Janeiro, líderes globais se encontram no Fórum Mundial Econômico na cidade de Davos. A grande missão desse fórum é melhorar a situação mundial.

Durante o fórum, a revista Corporate Knights costuma liberar um ranking onde classifica as 100 empresas - com vendas acima de $1 bilhão de dólares, mais sustentáveis do mundo.

Para a satisfação da indústria da moda, nesse ano de 2019, a empresa que ocupou a segunda posição geral foi a Kering, grupo dono de grandes marcas de luxo como Gucci, Saint Laurent, Bottega Veneta, Balenciaga, Alexander McQueen, entre outros.

Foto: @gucci

Foto: @gucci

O grupo, que saltou da 47a posição no ranking de 2018 para 2a em 2019, anunciou recentemente seu grande comprometimento com a sustentabilidade, lançando novos valores para parte de suas marcas, como é o caso da Gucci que já chegamos a contar aqui, e metas a serem cumpridas até o ano de 2025.

Além disso, esse foi o primeiro ano que o fórum contou com uma participação super ativa de líderes da moda. Não só eles estavam presentes, mas foram envolvidos em questões muito maiores do que apenas as diretamente relacionadas à indústria fashion.

Já sabemos o impacto da indústria nas questões socio-ambientais: uma das mais poluentes do mundo e com questões seríssimas em relação às condições de trabalho.

Ver então sua forte presença e participação em um fórum de tal importância, assim como o envolvimento do grupo Kering com a sustentabilidade nos mostra que o comprometimento com a mudança é real.

Já se entendeu que práticas sustentáveis não devem ser apenas um extra, mas parte do core de uma empresa. E como explica Marie-Claire Daveu, chefe de sustentabilidade da Kering, “as atividades do grupo agem como prova de que um negócio pode alcançar sucesso financeiro enquanto entrega também resultados sociais e ambientais positivos.”

________________________________________

Kering group is nominated one of the most sustainable in the world

Every January, global leaders get together in the World Economic Forum in Davos. Their mission is to improve the state of the world.

During this event, Corporate Knights launched a ranking with the 100 most sustainable companies in the world - with profit above U$1 billion.

For the fashion industry satisfaction, in 2019, the company that got the second position was Kering, luxury group that owns brands such as Gucci, Saint Laurent, Bottega Veneta, Balenciaga, Alexander McQueen, and others.

Kering, that jumped from position 47 in 2018 to 2nd in 2019, recently announced it commitment towards sustainability, sharing new values to some of their brands, like the story we shared about Gucci, and goals to be met by the year 2025.

Also, this was the first year the event had a super avid participation from fashion leaders. Not only they were present, but were involved in important topics that were not only related with the fashion industry.

The social and environmental impact caused by this industry is already known: one of the biggest pollutants in the world and with serious questions related to work conditions.

To then see its relevant presence and participation in a forum with such level of importance, not to mention Kering group’s involvement with sustainability shows us that commitment to change is real.

It has already been understood that sustainable practices should not only be an extra, but part of the core of a company. And as it was explained by Marie-Claire Daveu, Chief Sustainability Officer and Head of international institutional affairs at Kering, their perseverance to embed sustainable practices “acts as a ‘proof of concept’ that a business can achieve financial success while delivering positive social and environmental outcomes.”



Adriana ZemelComentário